terça-feira, abril 23

O medo

O medo, que eu tinha, e não tinhas tu. E o medo de olhar, de respirar e de falar ou ouvir falar. Mas o meu medo, que só aumentava ao som de suas mentiras, de que não doia, não dói, é calmo, é sossego, esse meu medo não deixou de existir até que minha coragem falou mais alto que ele, e minha coragem revestiu meu corpo, e forte ele, permitiu que eu o medo encarasse, e a mentira do não dói, doeu mais que a dor enfrentada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Que tal seguir por email?

▲ TOPO