sábado, junho 28

Solidão

No rádio música brega. Na noite uma lâmpada amarela acesa. Na madrugada um vazio no peito. Uma vontade de não sei o que, um desejo reprimido que não passa. Na solidão do quarto os olhos ardem, o buraco no peito aumenta, o desejo de alguém se faz mais forte. Na luz artificial da madrugada os olhos estalados, vermelhos, acompanham a fumaça do cigarro. A alma rodopia com ela, desfazendo-se ante os olhos, e a saudade lá, apertando as bordas do buraco, tudo mais profundo. 

2 comentários:

  1. A musica brega na verdade, è a que ela gostava de ouvir...e a fumaça do cigarro, uma "materialização" dela fermentada pela saudade...mas que aos pouquinhos vai desvanecendo-se.
    Otimo domingo, poetisa! Fique bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, você veio fazer poesia em seu comentário! Adorei. Abraços.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Que tal seguir por email?

▲ TOPO