quinta-feira, abril 9

O bêbado da rodoviária


Claro, tinham nos pegado bêbados de novo. Quando que estamos juntos sem estar com um drink na mão? Na cabeça bolada, as pessoas passam e riem de nossa capacidade limitada. Andamos em círculos por nossa loucura e sorrimos até mesmo para os que fazem de nós motivo de escárnio. A vida é fodida, e nós sabemos disso. Enquanto eu encaro o relógio marcando 5 horas, eu penso que falta uma hora para acabar. Penso no começo da noite e no outro bêbado, da outra rodoviária. Ele me encarou de boca aberta, admirando minha cara lavada? Meu batom vermelho? Um reflexo do que viria?

- Ei, acorda!

Meu parceiro não se incomoda em seguir meu conselho. Meu olhos ardem. Não tenho fome, nem frio, nem satisfações para dar. O bêbado tinha me perguntado para onde eu estava indo. Como diabos eu poderia saber? Alguém sabe realmente?

Eu beberia mais uma dose de tequila, basta oferecer, mas antes, preciso mijar.



Um comentário:

  1. Boa noite Edivana. Os passos trôpegos da vida sempre nos conduziram a lugares e direção incerta daquela que pretendamos seguir. As vezes é preciso embebedar a alma para nos deparar com a verdeira face desta ilusão e dar o passo certo. E ainda assim, mesmo os sóbrios dos sóbrios não saberão dizer para onde com certeza estamos indo. Abraços do amigo de sempre, é um prazer ler você.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Que tal seguir por email?

▲ TOPO